Generic filters
Filter by Custom Post Type


Sal: Benefícios e Malefícios na Alimentação diária

sal

O cloreto de sódio – também conhecido como sal de cozinha – é o tempero mais requisitado de toda a culinária. Impossível preparar um almoço gostoso sem acrescentar aquela pitada de sal durante a preparação dos pratos salgados, não é mesmo? O sal é protagonista quando o assunto é realçar o sabor da comida e deixar nossas refeições ainda mais deliciosas.

Mas é preciso ir com calma – se sal de menos deixa a comida com um gosto sem graça, sal demais pode acabar com todo o sabor. E pior do que isso: acabar com nossa saúde, também! Quando o assunto é sal na alimentação, é preciso apostar no equilíbrio. De maneira bem dosada, o sal faz bem para o corpo e auxilia na realização dos processos internos do organismo. Quando usado com exagero, torna-se um completo vilão e danifica diversas áreas do funcionamento corporal – especialmente, a saúde cardiovascular.

Para acabar com as dúvidas e curtir somente as coisas boas que o sal tem a oferecer, é hora de ficar por dentro dos benefícios e malefícios relacionados ao consumo do cloreto de sódio. Conheça suas melhores formas de consumo e saiba quais formas dispensar, para por sempre a saúde em primeiro lugar:

BENEFÍCIOS

  • Equilíbrio do organismo:

Quando consumido na quantidade correta (menos de 5g diários por pessoa), o sal auxilia no funcionamento do organismo. Mas de que maneira? É o seguinte: o sal funciona como mecanismo de controle das substâncias que entram e saem do organismo – ajuda a manter o balanço ideal de água e nutrientes dentro das células. Sem a presença do sódio no corpo, o organismo não conseguiria reter a quantidade saudável de água que precisa e as células sofreriam alteração no seu volume natural.

  • Amigo da digestão:

Você sabia que o sal, além de deixar as comidas mais saborosas, ainda pode ajudar o corpo a aproveitá-las da melhor maneira possível? É isso mesmo! Se consumido de maneira consciente, o sal é um grande amigo da digestão: estimula o aumento dos movimentos peristálticos dos intestinos, facilitando a formação do bolo fecal.

  • Parceiro dos atletas:

Para aqueles que vão à academia, andam de bicicleta, fazem caminhadas ou praticam quaisquer outras atividades aeróbicas com frequência, a importância do sal é ainda maior: seu consumo consciente auxilia na reposição do sódio perdido pela transpiração. Assim, o corpo permanece no equilíbrio saudável de água e nutrientes no interior de suas células.

  • Alternativas saudáveis:

Se acertar a quantidade saudável de cloreto de sódio por dia é difícil, que tal apostar em opções de sais mais saudáveis nas suas receitas? Aqui vão as duas alternativas mais famosas:

Sal marinho: agride o corpo em menores proporções do que o sal de cozinha comum, por possuir menor teor de sódio e passar por processo de refinamento natural. Mas o que isso significa? Significa que o sal marinho não passa por refinamento químico, pelo qual o sal de cozinha passa para ficar fininho e branquinho – onde recebe quantidades absurdas de iodo de potássio, em níveis tóxicos para o organismo humano. Este sal é especialmente indicado para obesos e hipertensos.

Sal rosa do Himalaia: considerado o sal mais puro disponível para consumo. Sua coloração rosa é ocasionada pela grande quantidade de minerais que carrega em sua composição – são mais de 80 minerais diferentes! Tem função desintoxicante, potencializa o sistema imunológico e ainda previne cãibras.

Importante ressaltar que o excesso de sal não é recomendado nem mesmo nestas opções mais saudáveis.

MALEFÍCIOS

  • De olho na pressão:

Quando encontrado em acúmulo no corpo, o sódio fornece grande auxílio na retenção dos líquidos dos tecidos, depositando-os no sangue. Diante do desiquilíbrio causado pelas células sem água, o corpo procura uma alternativa para tentar consertar a situação: aumenta a irrigação sanguínea para todos os tecidos. Para conseguir potencializar a irrigação, é preciso aumentar a pressão arterial, para que o sangue bombeie mais rápido. E, assim, o sal traz um perigoso quadro de hipertensão para a vida de pessoas que, até então, tinham a saúde cardiovascular em dia.

  • Cuidado com os rins:

Os rins são os órgão responsáveis pela filtração e eliminação do sódio excedente (aquele que não terá utilidade nenhuma nas funções do organismo). Quando o consumo de sal é muito exagerado, os rins ficam sobrecarregados por receberem uma demanda maior do que a sua capacidade natural – este ritmo de exigência do corpo leva à falência renal. E, como os rins não dão conta de excretar todo o excesso de sódio, este sal permanece retido nos rins: seu acúmulo dá origem aos doloridos cálculos renais (também conhecidos por pedra no rim).

  • Perigos ao coração:

Conforme dito anteriormente, o excesso de sal tem ligação direta com o aumento da pressão sanguínea. O quadro de hipertensão automaticamente multiplica os trabalhos do coração: precisa se adaptar a bombear um volume sanguíneo extra. Este esforço contínuo provoca danos na saúde cardíaca a longo prazo: quadros de arritmia e infarto são comuns nestas circunstâncias.

  • Atenção para os ossos:

O consumo exagerado de sal cria duas condições prejudiciais à saúde óssea: além de reduzir a capacidade de absorção de cálcio no organismo, ainda diminui a densidade dos ossos. Este conjunto de condições fragiliza o esqueleto de maneira completa, pois os ossos ficam mais fracos e perdem os meios de recuperar sua rigidez. Logo, quem consome muito sal é um grande candidato ao desenvolvimento de osteoporose.

  • Problemas estéticos:

Como já explicamos, o sal é campeão na retenção de líquidos. Além de todas as complicações que isso pode causar no funcionamento do organismo, as consequências se estendem para a estética! A retenção de líquidos provoca aparência de constante inchaço, favorece o aparecimento de celulites e ainda estimula o envelhecimento precoce. Beba muita água e corte o excesso de sal da dieta já!