O que é uma boa higiene bucal? - Agemed Planos de Saúde Empresarial

Agenews

O que é uma boa higiene bucal?

padrao_blog - higiene bucal

É preciso manter uma rotina adequada de higienização bucal para garantir um sorriso brilhante e um hálito fresco. Para além das questões estéticas, a higiene bucal também é preocupação com a saúde – manter hábitos corretos de higiene bucal é essencial para acabar com resquícios de alimentos entre os dentes, língua e gengiva, que propiciam a proliferação de bactérias associadas à gengivite, placa bacteriana e surgimento de cárie.

Mas será que seus hábitos de higiene bucal estão adequados? Confira agora as medidas que os especialistas consideram corretas para fazer a manutenção diária da saúde bucal, e adote uma higiene impecável ainda hoje:

ESCOVAÇÃO CORRETA

Esfregar a escova nos dentes sem qualquer critério está longe de ser uma escovação adequada. Os dentistas já elaboraram uma técnica para garantir o máximo de higiene para o ambiente bucal: o movimento da escova deve ser circular, com uma inclinação de 45º graus em relação ao dente. Este movimento circular deve se repetir por, pelo menos, 10 vezes em cada face dos dentes (lado “de fora” e o lado “de dentro”). Para que a escovação seja eficaz e livre de danos, recomenda-se o uso de escovas com cerdas ultramacias, para não ferir a gengiva e nem danificar o esmalte dentário.

HIGIENIZAÇÃO DA ESCOVA

Não dá para esperar que a boca fique 100% limpa quando higienizada por uma escova nem tão limpa assim. Poucas pessoas lembram que o cuidado com a escova de dentes também faz parte da higiene bucal. Após cada escovação, enxague abundantemente a escova com água corrente, depois dê pequenas batidas contra a palma da mão para tirar o excesso de água. Duas ou três vezes por semana, pingue algumas gotas de antisséptico oral nas cerdas da escova, para evitar proliferação bacteriana. Não abra mão do uso do protetor de cerdas, que evita que os coliformes fecais do banheiro se depositem sobre a escova. Certifique-se de que a escova fica guardada em ambiente seco, para que não surjam fungos em sua extensão.

PASTA NA MEDIDA CERTA

Exagerar na quantidade de pasta não é sinônimo de dentes mais limpos – e ainda oferece o risco de manchar o esmalte dos dentes, por conta do excesso de flúor. O importante é a técnica de escovação: a quantidade de pasta de dente não precisa exceder o tamanho de um grão de ervilha. Ultrapassando isso, pode representar risco à dentição.

TÉCNICA DE FIO DENTAL

O fio dental é a melhor opção para remover os resíduos de alimentos que ficam comprimidos no pequeno espaço entre os dentes. Sua utilização é de grande importância – mas é preciso manuseá-lo com cuidado, para não causar ferimentos na gengiva. Os dentistas recomendam o uso de um pedaço de aproximadamente 40 centímetros de fio, com as extremidades enroladas nos dedos indicadores das duas mãos. É importante conduzir o fio delicadamente, indo além do espaço entre dentes e seguindo até a curva de cada dente – sempre com o cuidado de não o forçar demasiadamente contra a gengiva e causar sangramentos e lesões.

ATENÇÃO À LÍNGUA

A higienização da língua também é parte essencial da limpeza bucal – mas é negligenciada com frequência. A higiene incorreta da língua é a principal causa de mau hálito nas pessoas: permite o desenvolvimento de uma placa bacteriana por toda a superfície da língua, que fermenta e libera gases derivados do enxofre, provocando um odor desagradável na região bucal. Existem higienizadores linguais plásticos específicos para esta função – usar a própria escova de dentes pode machucar a língua e provocar náuseas desnecessárias.

CUIDADO COM O ENXAGUANTE BUCAL

Os enxaguantes bucais se popularizaram e são vendidos livremente nos mercados e farmácias – mas o indicado é que só se faça uso diante de receita e supervisão de um dentista. Isso porque o uso frequente destes enxaguantes pode matar desnecessariamente parte da flora bacteriana bucal, que é essencial para o equilíbrio do pH da saliva. Estudos indicam que alguns enxaguantes ainda podem inibir as papilas gustativas e amarelar os dentes. Portanto, sempre peça indicação de um especialista!

Na Agemed, você pode escolher o plano ideal de acordo com as suas necessidades e orçamento. Faça uma simulação aqui.



Deixe seu comentário