A importância da doação de sangue - Agemed Planos de Saúde Empresarial
Generic filters
Filter by Custom Post Type


A importância da doação de sangue

padrao_blog - doação de sangue

Doar sangue é doar vida! O sangue é o principal transportador de substâncias para os órgãos e tecidos do corpo, e nele também se concentra grande parte das informações imunológicas que oferecem defesa natural ao organismo – por isso, a transfusão de sangue é de extrema importância para salvar a vida de pessoas que passaram por intensa perda sanguínea. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o percentual de doadores de sangue em um país corresponda de 3,5% a 5% de sua população total. Entretanto, o índice de doadores regulares no Brasil não ultrapassa os 2%.

Compreenda o tamanho da importância da doação de sangue e faça parte você também desta corrente de solidariedade e cuidado com o próximo:

PEQUENO GESTO, GRANDE ALCANCE

Uma única doação de sangue carrega o poder de salvar outras 4 vidas em situação de risco, pois o material coletado é separado em diferentes hemocomponentes (concentrado de plaquetas, concentrado de hemácias, plasma e crioprecipitado) que podem ser utilizados para tratar diferentes quadros clínicos.

A transfusão sanguínea restaura o volume de sangue adequado para o organismo, melhora a capacidade de transporte de oxigênio pelo sangue, tonifica a imunidade e corrige distúrbios de coagulação. Doando apenas 450 ml de sangue (padrão internacional), é possível oferecer saúde e vitalidade para muitas pessoas sem provocar deficiências ao corpo do doador. É bom para quem recebe e também para quem doa.

QUEM PODE SER AJUDADO

Sua doação representa a esperança de pessoas em condições delicadas de saúde. Vítimas de acidentes de trânsito ou de grandes queimaduras, pacientes com câncer, pessoas submetidas a cirurgias de médio e grande porte ou que passaram por hemorragias, hemofílicos e anêmicos são alguns dos beneficiados pela doação de sangue. Também é possível doar diretamente para um paciente em específico, basta comunicar seu desejo no hemocentro onde realizar a coleta. Grande parte dos pacientes hospitalizados precisará de transfusão sanguínea para prosseguir no tratamento – é necessário que o número de brasileiros doadores aumente para que todos os pacientes possam ser devidamente atendidos.

SEM RISCOS

O volume de sangue indicado pelo padrão internacional de doação (450 ml por pessoa) é muito pequeno quando comparado ao volume sanguíneo total do doador, e é reposto naturalmente pelo organismo dentro das 24h seguintes à doação. Além disso, todo o procedimento de coleta obedece a um rigoroso controle de segurança, dispondo apenas de materiais esterilizados e descartáveis. Logo, a doação de sangue é uma escolha totalmente segura, que não debilita o corpo de quem doa e que oferece riscos praticamente nulos de contaminação.

SEM CONTRAINDICAÇÕES

Existem muitos mitos sem embasamento médico que ainda impedem o crescimento da população de doadores do Brasil. Ao contrário do que é dito, doar sangue não afina o sangue e nem provoca anemia, assim como também não engrossa o sangue e nem estimula o entupimento dos vasos. A doação não engorda, não emagrece e não vicia, não oferece risco de contaminação e não deixa os doadores sem sangue suficiente em seu próprio organismo – até mesmo mulheres menstruadas podem doar! É um procedimento seguro, solidário, voluntário e espontâneo, e realização de uma doação não obriga o doador a permanecer doando por toda a vida.

QUEM PODE DOAR?

Se tornar um doador é muito simples! Basta ter entre 18 e 65 anos, pesar no mínimo 50 kg, estar devidamente alimentado e descansado e estar com documento de identificação com foto no momento da coleta.

Existem restrições definitivas – doenças transmissíveis pelo sangue como hepatite, AIDS, sífilis e doença de chagas impedem que a pessoa se torne uma doadora. Apresentar anemia, hipertensão ou febre no teste pré-doação também impedem a coleta.

Outras restrições temporárias incluem extração dentária (aguardar 72 horas para poder doar), apendicite ou hérnia (aguardar 3 meses para doar), gravidez (aguardar 90 dias – em parto normal – ou 180 dias – em cesariana – para poder doar), amamentação (aguardar 12 meses para doar), tatuagem ou maquiagem definitiva (aguardar 12 meses para doar), vacinas (cada uma possui um período específico de restrição).

Todos os aspectos de saúde do doador serão analisados na avaliação pré-doação, para garantir que seja um procedimento responsável e seguro, tanto para quem doa quanto para quem recebe o sangue doado.

A Agemed oferece cobertura para atendimentos ambulatorial e hospitalar, procedimentos clínicos, cirúrgicos, obstétricos e os atendimentos de urgência e emergência. Faça uma simulação aqui.

Deixe seu comentário